Jesus, o super-homem

Jesus, o super-homem nazista em Lucas 10, 18-24
e as observações do Bruxo (Stregone)

Claudio Simeoni
traduzido por Dante Lioi Filho

A Religião Pagã é a religião de quem vive nas tempestades da vida

 

Diferentemente das religiões hebraica, cristã, muçulmana ou budista, que interpretam o mundo partindo do pressuposto criacionista, a Religião Pagã é a religião do habitar o mundo. A Religião Pagã é a religião que particulariza os instrumentos do ser no mundo, do indivíduo.

Ser no mundo significa construir-se e vir a ser diferentemente dos hebreus, cristãos, muçulmanos e budistas que foram criados fora do mundo e de um modo superior a este mundo, que não vivem no mundo e pelo mundo, mas vivem em oposição ao mundo, em uma perene identificação com o deus deles. No evangelho de Lucas nós lemos Jesus que "se faz de bacana" ou de super-homem em um ininterrupto delírio psicológico, delírio esse que o cristão fiel interpreta como sendo uma realidade do seu deus e, como sendo um direito do seu Jesus de manifestar um absolutismo que torna legítima cada violência praticada entre os homens em nome da moral do deus-patrão.

Para os cristãos o homem não vem a ser (transformando-se), mas é criado e, como tal, podem ser cometidas contra ele todos os tipos de violência, porque a violência não modifica o destino e nem a sua "alma". Ao contrário, na Religião Pagã, cada ação cometida ao indivíduo singular modifica-lhe as suas transformações subjetivas e as suas possibilidades para ser eterno. Nisto está a contraposição social entre o cristianismo, o hebraísmo, islão e a Religião Pagã.

 

 

Portanto, para quem gostar ou para quem não gostar: Jesus é um indivíduo inapto e impotente. Ele só vive somente dos superpoderes da descendência de sangue dele, e com a qual torna legítima a ideologia racista propagando o ódio entre os homens.

Jesus, na vida dele, não fez nada nem para ele mesmo e nem para as outras pessoas da sua sociedade.

Jesus limitou-se a saquear o presente em que ele vivia e limitou-se em pretender que aquele presente se posicionasse de joelhos diante dele, pretendendo, assim, que aquele presente o considerasse o senhorio de tudo.

Jesus descreve, com o comportamento dele, aquilo que, em termos comuns e populares é definido como "uma merda humana", um homem imundo ou, num termo mais elevado: o arrogante.

Neste sentido, Jesus é o super-homem nazista. Aquele que não faz nada pela sociedade, mas que pretende ser o proprietário da sociedade: pretende ser o patrão e que a sociedade esteja ao serviço dele.

A tradução foi publicada 28 de Julho de 2016

Aqui você pode encontrar a versão original em italiano

Claudio Simeoni

Mecânico

Aprendiz a Stregone

Guardião do Anticristo

Tel. 3277862784

e-mail: claudiosimeoni@libero.it

A Religião Pagã

A Religião Pagã é a religião que reconhece que o mundo é um complexo de Deuses. Uma religião que conduz os homens e a sociedade a um convívio com e entre os Deuses, levando-os a tornarem-se Deuses conjuntamente.